#Resenha Indesejadas (Kristina Ohlsson)


"Indesejadas" é mais um dos livros publicados pela Editora Vestígio e assim como os outros livros da Editora, que eu tive a oportunidade de conhecer, traz uma história surpreendente e cheia de suspense. Para quem gosta do gênero policial, é mais um grande livro para adicionar a coleção.

O livro é o primeiro da série que traz como a investigadora Frederika Bergaman. Uma mulher que sonhava com a carreira na música, mas após um grave acidente teve de encontrar um novo caminho. O que ela não esperava é que o seu conhecimento acadêmico não seria valorizado e reconhecido. Ela era considerada apenas como mais um membro na equipe do lendário Alex Recht.



Em seu primeiro grande caso, Frederika terá que lidar com o desaparecimento de uma criança. Durante uma viagem de trem com a mãe, Lilian desaparece sem deixar pistas e sem que ninguém no vagão tenha percebido.

Ao descobrirem que os pais de Lilian estavam se separando e que o marido agredia a esposa há anos, todas as investigações são direcionadas para ele, que, convenientemente, está desaparecido desde o ocorrido.

Estou dizendo que o fato de a mãe ter dito que ele disse que estava viajando a trabalho não significa que ela não esteja mentindo. A lealdade dela em relação ao filho é tão forte que acho que ela não se importaria de mentir para protegê-lo.

Apesar das desconfianças de Frederika quanto ao culpado do crime, todos os investigadores parecem já ter um veredito. Quando a menina é encontrada morta em frente a um hospital, com a palavra indesejada na testa, uma reviravolta irá mostrar a equipe de Alex Recht que a investigação vai além de uma briga pela guarda de Lilian e que ela foi só a primeira.


O foco da narrativa muda a cada capítulo. Além do assassinato, há a desconfiança no trabalho de Frederika por parte da equipe, já que eles acreditam que ela não serve para esse tipo de trabalho. Enquanto isso, Frederika tenta mostrar que pode ser útil e sobreviver até o final do caso, quando poderá deixar o trabalho de investigadora. Com isso, o leitor poderá perceber a evolução da convivência entre os investigadores.



O que mais me chamou a atenção na história é que tudo acontece em um país tão inesperado: Suécia. Posso dizer que quase todos os livros que já li deste gênero, a história acontecia em alguma cidade da Inglaterra ou dos Estados Unidos.

A autora tem a capacidade de envolver o leitor e instigar a curiosidade, e isso é fundamental para história, pois o leitor será levado a temas fortes e violentos com a pedofilia, Também gostei muito os capítulos irem mudando o ponto de vista para cada personagem envolvido na história. Em alguns pontos, isso me deixou um pouco cansada da leitura. São tantos personagens importantes para história que ficou um tanto confuso. Ainda assim, essa mudança no ponto de vista ajuda o leitor a acompanhar melhor toda a narrativa.


Para quem gosta do gênero é uma ótima leitura. O texto se desenvolve de um jeito fácil e apesar do tema forte, a leitura é rápida.

***

Este livro foi enviado pelo Grupo Editorial Autêntica. Conheça os livros da Editora Vestígio.

A minha história sobre curso que eu escolhi


Quando falei sobre a minha nova meta para o final deste ano muitas pessoas me perguntaram qual o curso que eu escolhi e o motivo de ter escolhido. Decidi começar a minha série de posts sobre o vestibular falando sobre isso, ou ao menos tentar explicar o que me levou a essa escolha.

No final do ano passado eu completei o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, pelo Instituto Federal de São Paulo. Foi algo que acreditava ter escolhido por ser o que eu gostaria de fazer pelo resto da vida. Quanta pretensão não é? Decidir o que se quer fazer para toda uma vida com apenas dezessete anos. Não estou dizendo que ninguém possa ter essa certeza tão cedo e ser feliz com o que decidiu. Claro que é possível. Só quero dizer que não é preciso ter pressa para decidir. Você não deve se deixar levar pela pressão do mundo lá fora, por pessoas que insistem para que você tenha o futuro decidido antes de chegar aos vinte e cinco.

É importante sim saber o que te faz feliz, o que você quer para sua vida. Mas como eu disse, não tenha pressa, experimente coisas novas, só assim você terá condição de dizer o que você realmente quer. Acredite, isso funciona, descobri na marra.

Bom, para os que estão curiosos, escolhi algo bem distante do meu primeiro curso. Não sei bem o que me levou a isso, sei de algo que acendeu a chama da possibilidade. Meio clichê não é? Mas foi assim que aconteceu.

No ano passado comprei um livro na Bienal chamado "O Retrato", de Charlie Lovett (publicado pela Novo Conceito). Um livro que qualquer pessoa apaixonada por livros deveria ler algum dia. Nele temos contato com restauração de livros, a história sobre os manuscritos raros de grandes escritores e a histórias de diversos colecionadores, além de reviver algumas fatos que aconteceram na época vitoriana.

Resumindo, esse livro me fez perceber o quanto eu sempre gostei de ler, de escrever e aprender sobre a literatura. Achei que fosse apenas uma ideia passageira, algo que surgiu apenas por ter ficado empolgada com a história. Mas em janeiro deste ano, quando percebi que o meu curso havia acabado, a ideia ainda permanecia lá.

Foi então que eu percebi que realmente queria isso. O que é melhor: não há aquela pressão de ser o que eu quero para minha vida. Logo, logo terei o meu diploma e posso continuar trabalhando na área. Mas saber que tenho a chance de voltar para o que eu gosto de estudar e descobrir mais sobre um mundo que eu sempre adorei, me deixa feliz! Tenho certeza que será incrível.

Portanto, irei prestar o vestibular no final do ano para o curso de Letras e farei apenas se for por alguma universidade pública. Obviamente, estou estudando muito para que seja na USP, acho que é o objetivo da maioria dos vestibulandos aqui de São Paulo, rs. Mas se é para correr atrás do que eu quero, será no lugar que poderá me dar a melhor experiência e contato com a área. Torçam por mim.


***

Para quem quiser dar uma olhada, o livro que eu falei logo acima é só clicar aqui.

Resumo literário #3



Mesmo com os estudos para o vestibular, tenho acompanho de pertinho todos os lançamentos das minhas editoras favoritas. Com isso, a minha lista de leitura só aumenta, enquanto o meu tempo para me dedicar aos livros está cada vez mais apertado.

Ainda assim resolvi separar os últimos lançamentos da Arqueiro e da Editora Vestígio (Grupo Autêntica) para vocês entenderem o nível do meu desespero com cada livro maravilhoso!

Editora Arqueiro


Não é surpresa que eu AMO histórias policiais. Acompanho os livros do Harlan Coben e James Patterson que também são publicados pela Arqueiro e fico muito feliz toda vez que a editora surge com um novo autor de livro desse gênero. Com certeza irei ler "Boneco de Pano"!

O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato, ele tem certeza de que está diante de um caso importante. Na cena do crime está um cadáver composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.

Enquanto a polícia tenta identificar as vítimas, a repórter Andrea Hall recebe de uma fonte anônima uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.

Para começar eu fiquei encantada pela capa do livro "Amanhã eu paro!" (o que já seria o suficiente para que ele estivesse na minha meta de leitura)! Quando li a sinopse tive certeza que iria adorar. Além de divertido, parece ser uma leitura leve. Levando em conta os últimos dias, estou precisando livros assim, rs.

Como todo mundo, Julie já fez muitas coisas idiotas na vida. Ela poderia contar sobre a vez que resolveu descer a escada enquanto vestia um suéter e caiu nos degraus, ou quando tentou consertar um plugue ligado na tomada segurando o fio com a boca, ou quem sabe falar de sua fixação pelo novo vizinho que nunca viu: Ricardo Patatras.

Julie tem o irritante hábito de fazer as maiores loucuras quando está apaixonada. E essa obsessão a leva a prender a mão na caixa de correio do vizinho enquanto espiona uma misteriosa carta... E o pior, ainda é flagrada pelo próprio dono da correspondência.

Movida por uma criatividade sem limites, intrigada e atraída por um desconhecido que mora tão perto, Julie assume riscos cada vez mais delirantes, sem perceber que pode cair na própria armadilha.

Já falei algumas vezes por aqui, o quanto gosto de livros com alguma mensagem importante. Não precisa ser nada forçado, nada com um único significado, mas histórias que possam dar ao leitor a chance de tirar as próprias conclusões. Com certeza, "Um menino em um milhão" será uma leitura incrível!

Quinn Porter é um guitarrista de meia-idade que nunca conseguiu deslanchar na carreira. Enquanto aguardava sua grande chance na música, foi um marido e pai ausente, e jamais conseguiu estabelecer um vínculo afetivo com o filho, uma criança obcecada pelo Livro dos Recordes e algumas peculiares coleções.

Quando o menino morre inesperadamente, alguém precisa substituí-lo em sua tarefa de escoteiro: as visitas semanais à astuta Ona Vitkus, uma centenária imigrante lituana.

Quinn assume então o compromisso do filho durante os sete sábados seguintes e tenta ajudar Ona a obter o recorde de Motorista Habilitada Mais Velha. Através do convívio com a idosa, ele descobre aos poucos o filho que nunca conheceu, um menino generoso, sempre disposto a escutar e transformar a vida da sua inusitada amiga. Juntos, os dois encontrarão na amizade uma nova razão para viver.

Editora Vestígio (Grupo Autêntica)


Ah! Queria muito falar sobre os livros dessa editora! Principalmente, porque essa semana recebi um que eu estou apaixonada. Para quem não conhece, a Editora Vestígio publica romances policiais e está com um catálogo cada vez melhor!

Eu recebi o livro "Indesejadas" da Kristina Ohlsson, e posso dizer que dos livros desse gênero que eu já tive a oportunidade de ler, é um dos mais imprevisíveis e também (em vários momentos) é assustador. Em breve falo mais sobre ele aqui. :)

Esse é um lançamentos da Vestígio que estou mais animada para ler: "Confissões". A sinopse me deixou extremamente ansiosa, talvez por parecer diferente dos livros que já li. Há algo nele que me deixou muito curiosa!

O mundo da professora Yuko Moriguchi girava em torno da pequena Manami, uma garotinha de 4 anos apaixonada por coelhinhos. Agora, após um terrível acontecimento que tirou a vida de sua filha, Moriguchi decide pedir demissão.

Antes, porém, ela tem uma última lição para seus pupilos. A professora revela que sua filha não foi vítima de um acidente, como se pensava: dois alunos são os culpados. Sua aula derradeira irá desencadear uma trama diabólica de vingança. Narrado em vozes alternadas e com reviravoltas inesperadas, Confissões explora os limites da punição, misturando suspense, drama, desespero e violência de forma honesta e brutal, culminando num confronto angustiante entre professora e aluno que irá colocar os ocupantes de uma escola inteira em perigo.

Lembro da primeira vez que assisti ao filme. Não existia o DVD, somente a boa e velha fita cassete. Assisti tantas vezes quanto era possível. Fiquei animada ao saber que a Vestígio iria publicar essa cronologia. Com certeza está na minha lista!

Às 2h20 da manhã de 15 de abril de 1912, o Titanic inicia uma descida de quase quatro quilômetros até o fundo do oceano Atlântico. Maquinário, carvão, taças de cristal, pianos e joias submergem na água escura e gélida.

Centenas de passageiros e tripulantes permanecem presos sob o convés – centenas mais perderão a vida na superfície. Esta é a cronologia definitiva das horas finais do Titanic, contada com detalhes fascinantes e que oferece uma experiência em tempo real de um dos maiores dramas da história do século XX.