fevereiro 26, 2017

O Diário de Anne Frank


Eu nem mesmo sei por onde começar. É incrível como um livro pode ser surpreendente e emocionante mesmo quando você já sabe como irá terminar. Às vezes eu acho que por ler tanta ficção, desaprendi a entender e aceitar que nem sempre os finais são felizes.

O diário começa quando Anne está com 13 anos e ainda está em casa. Nele ela conta sobre a escola, a sua família e seus sentimentos. Até que no dia 5 de Julho de 1943, sua irmã – Margot Frank – recebe uma convocação para se apresentar nos campos de trabalhos forçados na Alemanha. Não foi uma surpresa. Há algum tempo os pais de Anne – Otto e Edith Frank – já esperavam por esta carta, afinal a Holanda estava ocupada por Alemães. Por isso já tinham um esconderijo preparado.

Logo no dia seguinte a convocação, a família Frank vai para o Anexo Secreto – o esconderijo – no prédio da empresa onde Otto trabalhava. Uma semana depois, a família Van Daan chega ao Anexo e mais tarde o Sr. Dussel.

Com isso, o diário de Anne começa a descrever a convivência entre os oito moradores do Anexo, as dificuldades em manter pessoas extremamente diferentes juntas e os sentimentos de uma adolescente que deseja ser livre. Conta sobre os seus estudos, que ela mantém mesmo no esconderijo.

A vida no Anexo dura dois anos, com isso é possível acompanhar as mudanças em Anne. No início de seu diário, em 1943, é possível perceber a personalidade forte e a sua determinação. Uma menina que desejava alguém que notasse o seus sentimentos e necessidades.

Já em 1944, Anne muda de atitude contra as críticas que recebe dos moradores do Anexo, principalmente da sua mãe. Ela descreve a mãe em várias ocasiões com muita raiva e remorso.

Em seu último ano no Anexo, Anne amadureceu muito. A sua escrita está melhor, os seus argumentos para descrever o que está acontecendo no esconderijo são claros e bem analisados. Tão diferente da garotinha de dois anos antes. Seu maior sonho é sair do Anexo e ser uma jornalista ou escritora, e publicar o seu diário para que todos pudessem conhecer a sua história.

Quem sabe, talvez nossa religião ensine ao mundo e às pessoas o que é a bondade, e talvez esse seja o único motivo de nosso sofrimento. Nunca poderemos ser apenas holandeses, ou ingleses, ou de qualquer outra nacionalidade, seremos sempre também judeus. E teremos de continuar sendo judeus, mas, afinal, vamos querer ser.

No dia 4 de Agosto de 1944, um carro parou em frente ao prédio onde ficava o Anexo e todos os moradores do prédio foram presos, inclusive os funcionários da empresa que os ajudaram durante os dois anos. A mando dos alemães, cada um foi para um campo de concentração diferente, com exceção de Anne e Margot que permaneceram juntas.

Anne morreu em 1945, no campo de concentração, devido às péssimas condições e uma epidemia de tifo. O seu diário foi devolvido a seu pai, o único sobrevivente dois oito moradores do anexo. Ao perceber a importância do que Anne havia deixado, decidiu seguir o que a filha tinha decidido e autorizou a publicação do diário.


Quantos textos eu já havia lido na escola sobre o nazismo, a segunda guerra, o holocausto, nem me lembro mais. Lembro que todos apenas apontavam os números, descrições das formas desumanas como os judeus foram tratados. Nenhum deles nos faziam sentir o medo e o desespero que era viver em meio a uma guerra, sem saber se no dia seguinte você estaria ali, vivo.

Talvez tenha sido este o motivo de eu ter demorado tanto na leitura deste livro. O Diário de Anne Frank poderia ser apenas o diário de uma garota comum, prestes a entrar na adolescência, se não fosse um relato claro do dia-a-dia de uma família judia em meio a Segunda Guerra Mundial.

Também escolhi falar sobre esse livro, porque enquanto eu lia ouvi muitos comentários de pessoas que sequer sabiam quem foi Anne Frank ou mesmo do que tratava o seu diário. Esta é uma história que precisa ser conhecida.

Compartilhe este post
fevereiro 21, 2017

Cachos para inspirar

Desde que voltei a usar o meu cabelo cacheado estou morrendo de vontade de fazer algo diferente nele. Não sei o que, mas queria algo que desse uma "valorizada" e um pouco mais de vida para o meu cabelo.

Já contei aqui a surpresa que foi ter os meus cachos de volta. Durante um pouco mais de dez anos mantive o meu cabelo liso fazendo escova progressiva regularmente, mas no ano passado, mesmo depois de ter feito a progressiva, percebi que o meu cabelo estava voltando a cachear. O que me deixou feliz, porque já estava cansada dessa vida de ter que escovar três vezes por semana (ainda mais nesse calor todo).

Desde então tenho mantido o meu cabelo sem nenhuma química (isso já há um ano), mas quero mudar, quero que os cachos apareçam mais. Por isso comecei a fuçar o Pinterest em busca de ideias. Separei algumas para este post, mas vocês podem conferir todas as aqui.



E aí, qual vocês mais gostaram?
Compartilhe este post
fevereiro 17, 2017

Os lançamentos que você não pode perder


Hoje eu separei os próximos lançamentos das Editoras Seguinte e Planeta de Livros, além do Grupo Autêntica (e é claro que não poderia faltar! <3) que é parceiro aqui do blog!

Para começar, termos os lançamentos do Grupo Autêntica. Separei três livros e lindos e encantadores. O primeiro foi publicado pela Editora Nemo e os outros dois pela Autêntica Infantil e Juvenil.


  • Deslocamento: Um diário de viagem

Artista, jovem e solteira, Lucy Knisley nunca imaginou que iria escapar do inverno frio de Nova York a bordo de um navio de cruzeiro para o Caribe. Mas quando seus avós idosos planejam uma fuga tropical, Lucy decide acompanhá-los, e nada sai como ela esperava. Deslocamento é uma revelação tocante do amor e da compaixão capazes de conectar gerações em circunstâncias inesperadas; cheia de humor, sensibilidade e graça.

  • Heidi – Volume 1 e Volume 2

Escrito em 1880, Heidi, a menina dos Alpes mostra o contraste entre a vida selvagem e livre nas montanhas, com seus valores simples e essenciais, e a vida na cidade grande, com costumes, regras e valores muito diferentes. A narrativa acompanha o crescimento e as aprendizagens de Heidi, e, sem perder de vista os 136 anos que separam nossa vida hoje, no século XXI, da vida dos personagens, é uma fonte de descobertas e reflexões importantes para todos nós.

Já a Editora Seguinte traz o terceiro volume da série "Rainha Vermelha".


  • Prisão do Rei

Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira.

Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.

Agora sim, a Editora Planeta Livros com quatros lançamentos maravilhosos e que já estão na minha lista! <3


  • Princesa de Papel

Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. 

  • Outros jeitos de usar a boca

Um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles.

  • Um instante de felicidade

O italiano Nicco enfrenta a passagem da adolescência para a vida adulta com muito mais sofrimento que seus amigos. Sua namorada terminou tudo com ele com um "sinto muito", sem dar nenhuma explicação, e seu pai acabou de morrer. Em meio a esse turbilhão de emoções e acontecimentos, Nicco conhece uma encantadora turista americana nas ruas de Roma e percebe que a vida é curta demais para ser desperdiçada com lamentos sobre o passado. Com a bela Ann, ele embarca numa aventura romântico-gastronômica pela Itália e redescobre seu norte com instantes de felicidade.

  • Sua melhor versão

"Enquanto buscarmos a cura do lado de fora, seremos malsucedidos. É aprendendo a olhar para dentro que conseguimos tratar das feridas que dão origem à ideia de que algo nos faz falta." Este é o ponto de partida de Sua melhor versão – O despertar de uma nova consciência, primeiro livro da psicóloga e educadora emocional Flavia Melissa.
Compartilhe este post