O que eu li: Mulheres são loucas, homens são estúpidos.

Postado por:

Tags:

Mulheres são loucas, homens são estúpidos.
Editora: AGIR
Autores: Howard J. Morris & Jenny Lee
Quem veio primeiro: A louca ou o estúpido? É a pergunta que vale um milhão, aquela que todos queremos responder. As mulheres são loucas porque os homens são estúpidos? Ou os homens são estúpidos porque as mulheres são loucas? Não surpreende que a maneira como respondemos a essas duas perguntas nos divida claramente em dois gêneros. Mas vamos encarar: há muitos motivos por trás dessa resposta, para todos. As mulheres defendem que, ao longo da vida, são lenta e metodicamente enlouquecidas por homens estúpidos. E os homens afirmam ser impossível para qualquer um agir de forma inteligente com uma mulher que está surtando. Se simplesmente conseguirmos provar quem surgir primeiro, o outro lado terá o direito de culpá-lo por toda a eternidade.

Eu não gosto muito de livros de autoajuda e sinceramente, talvez eu nunca tivesse conhecido esse se não fosse pela minha mãe. (Sim, foi ela quem me deu o livro. Eu fiquei pensando no por que dela ter me dado. Se pode ter sido algum tipo de indireta... Sabe, algo como “Acorda para vida menina!” ou “Vê se você aprende alguma coisa com isso!” rs.) Bom, mas eu tenho confessar que eu fiquei encantada com esse livro. “Mulheres são loucas, homens são estúpidos” é um livro engraçado, fácil e rápido de ler.
“Nós batíamos nelas no parquinho, porque gostávamos delas. Aí ríamos delas até elas chorarem. Aí olhávamos para seus peitos. Aí não as ouvíamos. Nenhuma vez. QUEM NÃO ENLOUQUECERIA DEPOIS DISSO TUDO? Então, o que a história do estúpido e da louca nos ensina? Ensina que, definitivamente, de uma vez por todas, sim, A ESTUPIDEZ VEIO PRIMEIRO.”

O que mais me chamou a atenção foi o fato de não ser apenas a opinião de uma das partes (do homem ou da mulher). Os capítulos são divididos entre Howard e a resposta de Jenny. E isso nos permite entender o que cada um pensa, sente e como agem em determinadas situações. “Não é tanto ‘ele diz/ela diz’, mas ‘ele diz/ela reage’.”, o que o torna todo o livro muito divertido.
“Ainda acho difícil conciliar a estranha receita do romantismo, cujos ingredientes principais são o mágico e o prático. O espontâneo e o totalmente planejado. O real e o etéreo. Você tem que misturar bem a fantasia e a realidade para fazer a massa crescer.”

O livro não se baseia em acusações do por que as mulheres são loucas e os homens são estúpidos. Em cada capítulo, tanto Howard quanto Jenny, tentam explicar (e às vezes, até defender) o motivo que nos leva a ser assim. E, talvez, por isso o livro é tão atraente. É quase impossível não se divertir com as histórias do casal.
  1. Oie
    ri muito com vc pensando pq ela te deu esse livro rsrsrsr
    Quando comecei o blog meu marido me deu aquele livro Julie/Julia que fala de uma mulher com 29 anos que não sabia o que fazer da vida, tava meio deprê e resolve fazer um blog culinário, tirando que meu blog era sobre livros eu tava na mesma situação, no dia pensei fiquei até um pouquinho com raiva dele kkkkkkkkkk
    bjocas

    ResponderExcluir
  2. Aí está uma das coisas que não entenderei.
    Homens e mulheres não precisam tentar entender a si mesmos.bom,alguns podem tentar.mas,será difícil.

    ResponderExcluir
  3. Vou ler o meu primeiro livro de auto-ajuda esses dias. Assim que terminar de ler dois outros. Mesmo sem saber se vou gostar do gênero, já fiquei com vontade de ler este. Simplesmente porque sua resenha me convenceu. To precisando de humor e ter um auto-ajuda com humor deve ser ótimo.

    Beijos e não some mais não viu?

    Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir

DEZOITO PRIMAVERAS - ONLINE DESDE 2012. DESIGN E PROGRAMAÇÃO POR MICHELLY MELO (Eu!). Todos os direitos reservados