Foi quando eu liguei o rádio. Tocava a minha música preferida dos Beatles: "Love Me Do". Quando chegou ao refrão cantei, cantei como se não houvesse ninguém no mundo que pudesse me ouvir. Me vi rindo, um riso que há muito já não era igual. Não era do tipo que aprendi a mostrar ao mundo. Um riso contido e sem volume. Percebi que a música me faz esquecer, me leva para longe de pensamentos perigosos. É disso o que eu sinto falta: a tranquilidade de poder confiar nos próprios pensamentos e sentimentos.

Fui e ainda sou aquela mesma garota que sonha em encontrar algo ou alguém que preencha o espaço que insiste em continuar vazio. Não estou dizendo que sou uma pessoa que se sente incompleta, pelo contrário. Mas há sentimentos que não podem ser vividos sozinhos. A sensação jamais será a mesma. Também não falo de amor, desses dignos de contos de fadas. Não, sinto falta de dividir algo mais real, mais verdadeiro.