Algumas lembranças


Em alguns dias sinto uma imensa necessidade em relembrar algumas coisas. Não por ter sido exclusivamente boas, mas por ter sido importante para mim. De certa forma, isso me faz viver pressa às lembranças, ao passado. Ainda assim, me sinto confortável em poder relembrá-las.

Dia desses estava revendo um daqueles álbuns típicos de família. Pela época das fotos, os meus pais ainda eram casados, ainda tinha o meu cabelo extremamente cacheado e já não ficava tão emburrada quando precisa tirar alguma foto, haha.


Apesar dos sorrisos, que eram recorrentes nas fotos, era um dos períodos mais difíceis, quando tinha seis anos. Nunca me importei em falar sobre isso. Quando me perguntavam o que havia acontecido, sempre respondia com calma e com certo humor. Mas em dias em que as lembranças surgem novamente e você precisa revivê-las, me sinto ingrata e triste por não dar valor na vida que tenho.

Sempre imaginei que pessoas que tivessem enfrentado a quimioterapia deveriam valorizar a chance de estarem ali, vivas. Deveriam viver de verdade, aproveitar o que não deixa de ser uma segunda chance. Por mais que eu diga a mim mesma que eu tinha apenas seis anos, é impossível não sentir que estou desperdiçando a chance que tive de continuar próxima das pessoas que amo.


Não consigo dizer em qual momento deixei de acreditar na vida, nos sentimentos e nas pessoas. Às vezes percebo que aos poucos fui me afastando, me escondendo dos outros, por medo. Posso dizer que os últimos dez anos têm sido assim e mesmo tendo absoluta consciência do que faço, não consigo imaginar as coisas de um jeito diferente.

Acredito de todo o coração em todos os clichês que dizem que a vida deve ser aproveita ao máximo. Em todos os textos que já postei por aqui, posso assegurar que em nenhum deles você irá encontrar algo diferente disso. Todos buscam inspirar o leitor a deixar para trás os seus limites, os seus medos e seguir em frente. Talvez esse tenha sido o tema de todos os meus textos. Sempre escrevi para os outros o que eu deveria ter dito e feito por mim mesma.


19 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Acho muito legal essas recordações.
    Adorei as fotos.
    Beijos
    http://amandastale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Michelly!
    Nossa, deve ter sido uma barra pesada pra ti e toda tua família passar por esse processo enquanto tu ainda era tão pequena.
    Eu penso muito exatamente sobre isso que tu falou no texto, da vontade de aproveitar mais a vida mas, ao mesmo tempo, uma dificuldade em fazer isso. Eu gosto de pensar que as coisas precisam ser leves, sabe?! Não podemos nos forçar a encontrar alguém simplesmente porque seria mais conveniente pro mundo e também não podemos nos forçar a ser de determinado jeito só porque todo mundo diz que assim seria melhor. Precisamos mudar o que, de verdade, nos incomoda.

    Gostei muito do post, me trouxe muitos sentimentos.
    Beijos.

    BLOG COISA E TAL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fundo é isso o que me incomoda. Tenho vontade de fazer tantas coisas, mas acabo desistindo. Por isso, sinto que acabo desperdiçando a chance que eu tive. :(

      Beijos

      Excluir
  3. Oi!
    Encontrei seu link por acaso na Liga e agora estou em lágrimas (perdi uma tia para leucemia e ela era a pessoa que mais bem aproveitava essa vida). Concordo com a Fêh Zenatto que as coisas tem de ser leve e não podemos forçar, mas não acho que foi isso que você quis dizer. Adorei o seu texto e principalmente a sua sinceridade, confiança de pôr essas palavras aqui. Parabéns pelo blog, seu espaço é lindo!
    Beijinhos,
    Blog da Rachel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito pela sua tia. É horrível passar por isso e imagino que seja pior para família.
      Muito obrigada pelo carinho!

      Beijo

      Excluir
  4. Eu fiquei aqui imaginando o quanto deve ter sido difícil pra você e pra sua família passar juntos por um câncer numa idade tão pequena e depois passar pela dificuldade que é uma separação. Eu concordo com você e sinto por várias vezes a mesma coisa: que deveria aproveitar melhor a vida, dar uma animada, socializar um pouco mais, talvez sorrir mais também. Mas isso fica no pensamento, porque quando paro pra pensar, lá no fundo, eu não me incomodo tanto assim. É mais cobrança exterior do que interior, então pra quê me preocupar? Quando for o momento certo de mudar a gente se redescobre.

    Parabéns pela coragem e confiança de compartilhar tudo isso conosco. É preciso se superar todos os dias pra viver uma vida plena. Nem sempre você vai conseguir, mas tentar ver as coisas de um ponto de vista mais feliz já é um caminho.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Penso muito nisso. A vida passa tão rápido para desistirmos do que queremos!

      Excluir
  5. Nossa, que post inspirador, é incrível sentir a sua força e a sua coragem. Obrigada por compartilhar um pouco da sua história de uma forma tão aberta e honesta.

    Blog.

    ResponderExcluir
  6. que pesado você ter passado por isso tudo :c fico feliz que tenha se recuperado.
    Eu não passei por algo assim, mas sei como é não ter tanto vigor para viver :c

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Vim retribuir o comentário em meu blog e acabei chorando com sue post :'(
    Tenho um parente que passou por isso, graças a Deus ele tá bem, mas foi bem complicado...
    Você é uma garota tremendamente forte e linda! <3
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz com isso! É difícil ver alguém passando por uma situação dessas. :(

      Excluir
  8. Quanta lembrança fofinha! <3
    Seu blog tá maravilhoso! Infância é um momento tão lindo da nossa vida!
    bjs
    radior7.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá Michelly, sua história é linda, se não fez ainda tudo aquilo que você diz, ou se ainda tem coisas na quais ainda quer fzer, ou se não está aproveitando a vida como deveria, porque não começar agora?

    yeah-dreamhigh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Hey, Mi, tudo bem?
    Olha, você passou por coisas pesadas para uma criança, mas creio que isso te serviu de lição para aproveitar os bons momentos e oportunidades da vida.
    Acredito que essas recordações são importantes porque contam a sua história.
    Te desejo tudo de bom nesta vida.
    Um beijo :)

    Hida,

    www.blogdahida.com

    ResponderExcluir