A minha história sobre curso que eu escolhi


Quando falei sobre a minha nova meta para o final deste ano muitas pessoas me perguntaram qual o curso que eu escolhi e o motivo de ter escolhido. Decidi começar a minha série de posts sobre o vestibular falando sobre isso, ou ao menos tentar explicar o que me levou a essa escolha.

No final do ano passado eu completei o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, pelo Instituto Federal de São Paulo. Foi algo que acreditava ter escolhido por ser o que eu gostaria de fazer pelo resto da vida. Quanta pretensão não é? Decidir o que se quer fazer para toda uma vida com apenas dezessete anos. Não estou dizendo que ninguém possa ter essa certeza tão cedo e ser feliz com o que decidiu. Claro que é possível. Só quero dizer que não é preciso ter pressa para decidir. Você não deve se deixar levar pela pressão do mundo lá fora, por pessoas que insistem para que você tenha o futuro decidido antes de chegar aos vinte e cinco.

É importante sim saber o que te faz feliz, o que você quer para sua vida. Mas como eu disse, não tenha pressa, experimente coisas novas, só assim você terá condição de dizer o que você realmente quer. Acredite, isso funciona, descobri na marra.

Bom, para os que estão curiosos, escolhi algo bem distante do meu primeiro curso. Não sei bem o que me levou a isso, sei de algo que acendeu a chama da possibilidade. Meio clichê não é? Mas foi assim que aconteceu.

No ano passado comprei um livro na Bienal chamado "O Retrato", de Charlie Lovett (publicado pela Novo Conceito). Um livro que qualquer pessoa apaixonada por livros deveria ler algum dia. Nele temos contato com restauração de livros, a história sobre os manuscritos raros de grandes escritores e a histórias de diversos colecionadores, além de reviver algumas fatos que aconteceram na época vitoriana.

Resumindo, esse livro me fez perceber o quanto eu sempre gostei de ler, de escrever e aprender sobre a literatura. Achei que fosse apenas uma ideia passageira, algo que surgiu apenas por ter ficado empolgada com a história. Mas em janeiro deste ano, quando percebi que o meu curso havia acabado, a ideia ainda permanecia lá.

Foi então que eu percebi que realmente queria isso. O que é melhor: não há aquela pressão de ser o que eu quero para minha vida. Logo, logo terei o meu diploma e posso continuar trabalhando na área. Mas saber que tenho a chance de voltar para o que eu gosto de estudar e descobrir mais sobre um mundo que eu sempre adorei, me deixa feliz! Tenho certeza que será incrível.

Portanto, irei prestar o vestibular no final do ano para o curso de Letras e farei apenas se for por alguma universidade pública. Obviamente, estou estudando muito para que seja na USP, acho que é o objetivo da maioria dos vestibulandos aqui de São Paulo, rs. Mas se é para correr atrás do que eu quero, será no lugar que poderá me dar a melhor experiência e contato com a área. Torçam por mim.


***

Para quem quiser dar uma olhada, o livro que eu falei logo acima é só clicar aqui.

8 comentários:

  1. Mi, tudo bem?
    Letras é um curso maravilhoso. Fiquei na dúvida entre ele e o jornalismo. Optei por jornalismo e hoje sou muito realizada. Cheguei a ver aulas de Letras na Unicamp e é um curso encantador.
    Te desejo sucesso. É uma fase incrível.
    Beijo,


    Hida

    www.blogdahida.com

    ResponderExcluir
  2. Ler teus posts é como sentar contigo e conversar, parece que tu tá aqui do meu lado me contando, é gostoso de ler.
    Eu com 22 que fui descobrir o que queria realmente fazer e ainda não tive a oportunidade de fazer, acho que em breve vou conseguir.
    O bom é que tu recém saiu de um curso, então continua com o pique pra estudar, porque quando demoramos a voltar a estudar ou se paramos de estudar, é mais difícil de voltar.
    Acho que tu pode falar num próximo post: como que tu tá postando no blog e estudando, como que está a organização... :)
    Beijos
    Mundo de Nati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que amor! Muitíssimo obrigada, Nati!
      Adorei a ideia e com certeza vou pensar em algo para postar aqui!

      Beijos

      Excluir
  3. Gostei bastante do post. Eu faço história e amo meu curso, quero trabalhar dando aulas, é o que gosto, mas também quero fazer mais coisas como jornalismo ou letras. Sucesso e tudo de bom pra você, que você passe nesse vestibular e estude o que ama.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando era mais nova, eu queria ser professora, mas agora morro de vergonha só de pensar em falar em público haha.

      Excluir
  4. Se não me engano, tenho uma amiga que cursa o mesmo e ela reclama do machismo que rola no curso. Piadinhas dos colegas por ser a unica mulher na sala e coisas do tipo mas acredite, se é o que gosta, ignore todas as pedras do caminho!!!
    A Bela, não a Fera | Youtube Channel | Vem conversar comigo no Twitter!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No curso que eu já terminei, realmente foi assim. Era a única garota da sala, mas graças a Deus eu já acabei! haha Tenho certeza que com o novo curso que escolhi será diferente!

      Beijos

      Excluir