"O Verão Em Que Tudo Mudou" é sobretudo um livro sobre sonhos. Isso torna ainda mais difícil falar sobre ele, afinal cada um verá de uma perspectiva diferente. Cada história é capaz de trazer tantos significados e faz com que o leitor inevitavelmente se identifique com cada uma delas.


Nada de spoilers, apenas as minhas impressões sobre o livro.



É véspera de Natal!


Na primeira parte do livro conhecemos a Valentina. Uma garota intensa, decidida, sonhadora e independente. Ela tem os seus objetivos traçados e o que será necessário fazer para alcança-los.

Por uma coincidência, ela conhece o Frederico, um garoto que é totalmente o oposto dela. Ele não tem sonhos, não sabe o que desejar para o seu futuro e vive acomodado com o seu emprego em uma livraria. É apenas quando Fred conhece a Valentina que ele descobre que falta algo em sua vida, um pedacinho de si que ficou abandonado, perdido por muito tempo.

(...) Sou um cara que não tem sonhos, Valentina. Simples assim. Dessa forma feia e louca mesmo. Eu-não-tenho-sonhos!

São dois personagens que ganham o coração e a torcia do leitor a cada página. A Valentina, obviamente, pela força que ela demonstra e apesar de ter aprendido a ser independente, ela demonstra sentir falta de se prender a alguém ou alguém, de ter raízes. Já o Frederico, mostra que é possível lembrar-se de velhos sonhos e buscar outros grandes sonhos.

Mas os sonhos são milagres, Frederico. Porém, isso não significa que você não possa alcançá-los. Que não possa tocá-los. Que eles não possam ser seus...


Chegamos em Janeiro...


Conhecemos a Lavínia. Uma jovem que está realizando o que foi o sonho durante um ano: passar no vestibular. Um sonho que por tanto tempo foi o seu único objetivo e agora que se tornou realidade parece distante e nem tão perfeito quanto ela desejava.

Lavínia carrega uma culpa tão grande que a faz decidir pelo o que agradaria aos pais e não o que ela realmente quer. Isso faz com que ela repense a ideia de começar a faculdade. Em troca, ela resolve viajar para se redescobrir, para colocar em ordem os seus sentimentos.

Uma viagem é sempre um mar de surpresas e com ela não será diferente. Ela irá descobrir a sua própria força e os seus antigos sonhos. Sonhos totalmente distantes do que os pais imaginaram para ela. Lavínia precisa reaprender a viver.

Não dá para jogar a poeira embaixo do tapete e fingir que ela não tá ali, porque ela está. A gente sabe disso, mesmo que ignore, que finja que não existe, e aí a cada ventinho ela ressurge, se tornando algo muito maior do que era para ser.


Enfim, Fevereiro.


Por último conhecemos a Sol, uma menina extremamente organizada e controladora. Ela gosta de tudo planejado e que todos sigam seus planos.

Mas dois incidentes irão mudar o seu modo de agir. Começando por um estranho que erra o número e envia um sms para ela. O que era para ser algo sem importância, foi ganhando espaço em sua vida. Ela e o T. – como o desconhecido se identifica inicialmente – acabam cada vez mais próximos.

Depois há a sua melhor amiga, alguém que irá mostrar a Sol o quanto as suas atitudes distanciam as pessoas. O quanto ela foca apenas nos próprios problemas e não se interessa pelo o que acontece com as pessoas que ela ama.

É preciso ser muito especial para mudar, Sol. Tem que ser muito forte pra conseguir detectar seus defeitos, reconhecer suas imperfeições e tentar mudar.

Acho que das três personagens, a Sol foi a que mais mudou durante toda a história. Talvez tenha sido por isso que eu me impressionei tanto com ela.





No geral, são três grandes histórias que se unem pela amizade de três amigas de infância. Valentina, Lavínia e Sol fazem com que o leitor sinta-se influenciado com cada pedacinho, cada detalhe. São três garotas tão diferentes, mas em cada uma delas é possível achar uma característica pela qual você pode (e deve) se familiarizar.

Outra coisa muito importante para comentar é os desenhos do livro. Além de ser cheio de detalhes a cada começo de capítulo, há várias ilustrações com frases marcantes da história. Além da cor do texto que é todo em azul.

"O Verão Em Que Tudo Mudou" já está entre os meus livros favoritos. As páginas virão sozinhas e traz uma leitura leve e encantadora.


***

No próximo post vai ter tudo o que rolou no lançamento do livro aqui em São Paulo! <3