Irmãos de Sangue (Nora Roberts)

Postado por:

Irmãos de Sangue
Nora Roberts
Editora Arqueiro
Sinopse: A misteriosa Pedra Pagã sempre foi um local proibido na floresta Hawkins. Por isso mesmo, é o lugar ideal para três garotos de 10 anos acamparem escondidos e firmarem um pacto de irmandade. O que Caleb, Fox e Gage não imaginavam é que ganhariam poderes sobrenaturais e libertariam uma força demoníaca.

Desde então, a cada sete anos, a partir do sétimo dia do sétimo mês, acontecimentos estranhos ocorrem em Hawkins Hollow. No período de uma semana, famílias são destruídas e amigos se voltam uns contra os outros em meio a um inferno na Terra.

Vinte e um anos depois do pacto, a repórter Quinn Black chega à cidade para pesquisar sobre o estranho fenômeno e, com sua aguçada sensibilidade, logo sente o mal que vive ali. À medida que o tempo passa,

Caleb e ela veem seus destinos se unirem por um desejo incontrolável enquanto percebem a agitação das trevas crescer com o potencial de destruir a cidade.

Em Irmãos de sangue, Nora Roberts mostra uma nova faceta como escritora, dando início a uma trilogia arrebatadora em que o amor é a força necessária para vencer os sombrios obstáculos de um lugar dominado pelo mal.


Tive a chance de conhecer essa trilogia por conta da parceria com a Editora Arqueiro. O que me animou a ler foi o fato da editora ter publicado os três livros no mesmo ano, o que fez com que a espera fosse bem curta e garantiu uma boa leitura.

A Sina do Sete é uma trilogia escrita pela Nora Roberts composta pelos livros: Irmãos de Sangue, A Maldição de Hollow e A Pedra Pagã.


No primeiro livro, você irá conhecer Caleb Hawkins, Fox O’Dell e Gage Tuner. Os três nasceram no mesmo dia e ano. São irmãos antes mesmo do nascimento, já que as suas mães já eram amigas. Esse era um laço que sempre os mantiveram unidos. Agora, prontos para completarem 10 anos, eles desejam comemorar com uma aventura memorável.

Com o pretexto de acamparem na fazenda dos pais de Fox, os três garotos fogem para a floresta onde passarão a noite na Pedra Pagã. O destino foi escolhido pelos segredos que carrega e como forma de provar o quanto eram corajosos.

A meia-noite, quando já estavam no lugar escolhido, eles decidem fazer um pacto de sangue. No momento em que uniram os seus braços com o pequeno corte e misturaram o seu sangue, o lugar foi engolido por uma nuvem escura e poderosa. O caos tomou conta do lugar e algo havia mudado.



Com o pacto, Twisse, um demônio secular foi libertado e agora os três possuem poderes sobrenaturais. Cal é capaz de ver o que aconteceu no passado, Fox pode sentir e ver o que está acontecendo no presente, enquanto Gage vê o que pode acontecer dependendo das decisões que tomem.

Com Twisse a solta, por sete dias, a cada sete anos, a cidade é dominada pelo terror, assassinatos, ataques violentos e mortes. No fim dos setes dias ninguém se lembra do que aconteceu. Ninguém é capaz de ver o demônio. Cal, Fox e Gage tentaram destruí-lo de todas as formas, mas a cada vez ele retornava mais forte.

Vinte anos depois do pacto, os ataques continuam e os três amigos sentem que desta vez será diferente, será pior. E todo esse mistério chamou a atenção da jornalista paranormal Quinn Black, que está disposta a descobrir o que acontece com a cidade. Mesmo que os três amigos se opusessem a interferência de Quinn, era difícil explicar porque ela conseguia ver o demônio, quando nenhum outro morador de Hollow era capaz de enxerga-lo.

Também estava preocupado com o sonho de Quinn. Ele havia reconhecido o lugar em que ela estivera e o que vira. O fato de Quinn ter sonhado tão lucidamento com o lago e a clareira, e saído machucada disso, significava que ela devia estar de algum modo conectada.

Com a chegada inesperada de Layla e depois de Cybil, à pedido de Quinn, as peças começam a se encaixar. Desta vez há esperança de que eles descubram o motivo de estarem unidos e a forma de acabar com Twisse.



Uma das coisas que mais me surpreenderam neste livro (e nos outros dois da trilogia) é a forma como a autora descreve tudo o que acontece. Por ser uma história repleta de fatos sobrenaturais tudo foi muito bem apresentado e explicado o leitor. É impossível não sentir que você está lá, presenciando tudo. Em alguns momentos chega a ser aterrorizante, ao mesmo tempo você não consegue deixar o livro de lado.

Outro ponto positivo da história foi a forma como a Nora Roberts criou os personagens. Cada um tem o seu papel de destaque na história, sem que nenhum fique para trás. Além de todo o sentimento envolvido entre eles. É incrível ver a amizade e confiança entre Cal, Fox e Gage. Aliás, as duas coisas estão presentes em toda a história, não somente neste livro como nos outros também. Diria que essa é a base para a história: o Amor.

  1. Olá!
    Já vi tantos livros dessa autora na biblioteca da minha cidade, mas nunca tive o interesse em pesquisar mais sobre ela. Mas pelo visto estou perdendo grandes histórias, gostei muito da resenha deste livro, lembrou-me um pouco da série Supernatural, hahaha.

    Beijão
    Cantinho da Escrita

    ResponderExcluir

DEZOITO PRIMAVERAS - ONLINE DESDE 2012. DESIGN E PROGRAMAÇÃO POR MICHELLY MELO (Eu!). Todos os direitos reservados