Origem (Dan Brown)


Origem
Dan Brown
Editora Arqueiro
Sinopse: Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete “mudar para sempre o papel da ciência”.

O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento… algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana.

Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre.

Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch.

Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo.

Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch… e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.



Robert Langdon está de volta para salvar a descoberta do seu ex-aluno Edmond Kirsch, um gênio da computação que acredita ser capaz de relevar os mistérios sobre a origem e o destino da humanidade.

Antes de revelar sua descoberta ao mundo, Edmond consultou três grandes representantes da religião: Antonio Valdespino, Syed al-Fadi e Yehuda Köves, disposto a testar a reação da igreja e foi exatamente a que esperava. Os três líderes religiosos foram incapazes de rebater os fatos apresentados pelo jovem ateu, o que só comprovava que a descoberta de Edmond seria capaz de abalar ou mesmo destruir o poder da religião no mundo.



Com isso, Edmond sentiu que era o momento certo para apresentar as respostas para as perguntas mais antigas sobre a humanidade: De onde viemos? Para onde vamos?

Durante a sua apresentação, que estava sendo transmitida ao vivo para todo o mundo, quando se aproximava do momento em que revelaria a sua descoberta, Edmond é assassinado em frente aos seus convidados.

Esse é o gancho para que Robert Langdon entre na história. O famoso professor foi avisado minutos antes que algo estava preste a ocorrer. Um convidado foi adicionado à lista de última hora. Incapaz de evitar a morte do amigo, Robert descobre que ainda há uma chance de transmitir sua descoberta, com a ajuda da diretora do museu – Ambra Vidal – irá correr contra o tempo para revelar os segredos desta noite. Robert acredita que o assassinato foi planejado por alguém que queria esconder a descoberta do seu amigo, o colocando em risco também.


Robert será muitas vezes direcionado para o caminho certo com a ajuda de Winston, um programa desenvolvido por Edmond a partir da inteligência artificial. Winston irá fazer o que for preciso para que a apresentação seja revelada e atinja o maior número possível de espectadores.

Com esse gancho inicial a história ganha ânimo para os próximos capítulos. Ainda assim, muitas vezes o leitor é levado a descrições desnecessárias para o andamento da história. Acredito que a ideia seria ambientar o momento e os locais escolhidos, ainda assim poderia ter sido feito de forma mais objetiva.


Enquanto as descrições ocupam boa parte dos capítulos, o enredo ficou um tanto óbvio demais. O autor da conspiração ficou claro para mim desde a metade do livro, tornando a história meio sem graça.

A descoberta do Edmond também ficou um tanto esquecida até os últimos capítulos do livro. Durante a história, o leitor será levado por diversos pontos de ação, onde Robert e Ambra tentam escapar do assassino e chegar a tempo ao servidor que guarda os segredos do futurólogo.

Ainda assim, gostei bastante do final. Achei que a descoberta de Edmond foi bem escrita e explicada aos leitores. Apesar de ter um papel tão importante na história e ter sido anunciada de forma rápida, foi algo que me surpreendeu.

A leitura foi cansativa e um tanto lenta, mas teve pontos que se destacaram e fez com que a história ficasse mais interessante. Acredito que este não será o melhor livro do autor, mesmo assim vale a leitura!
  1. Saudações Lady Michelly,

    Desde o último lançamento, Dan Brown não me entusiasmou tanto, achei Inferno "mais do mesmo". Achei a proposta de "Origem" interessante, mas ainda não tinha pesquisado por nenhuma crítica da obra. Com a sua opinião e os pontos que geralmente eu encontro nos livros narrados pelo Robert, pode ser que eu demore um bocado para abrir meu exemplar.

    Venha visitar o Castelo!

    Att.
    A Rainha ♛ The Queen's Castle
    Mindhunter
    A chama da esperança - Parte II
    Promoções de Natal ativas

    ResponderExcluir

DEZOITO PRIMAVERAS - ONLINE DESDE 2012. DESIGN E PROGRAMAÇÃO POR MICHELLY MELO (Eu!). Todos os direitos reservados